Mato Grosso, Domingo, 23 de Janeiro de 2022     
Novo Portal
Pesquisadores da Unemat desenvolvem projeto de monitoramento territorial com financiamento internacional
UNEMAT FAZ PESQUISA
Pesquisadores da Unemat desenvolvem projeto de monitoramento territorial com financiamento internacional
01/06/2021 09:26:00
por Lygia Lima
Foto por: Damien Arvor
Chuva localizada no fundo de silos de gros em Mato Grosso
Chuva localizada no fundo de silos de gros em Mato Grosso

Pesquisadores da Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat) em parceria com outras instituições brasileiras e também francesas estão desenvolvendo o projeto Chove-Chuva que visa desenvolver uma ferramenta de monitoramento da dinâmica territorial em Mato Grosso, na Amazônia Brasileira.

O professor doutor Carlos Antônio da Silva Júnior, do Laboratório de Geotecnlogia Aplicada em Agricultura e Floresta (GAAF) da Unemat, câmpus de Sinop, explica que o esse projeto deve fornecer indicadores simples sobre a evolução das variáveis climáticas e de uso de solo. Segundo ele, também serão coletados dados dos cidadãos sobre a percepção das mudanças climáticas e sobre a localização de práticas de uso racional da terra.

O projeto tem previsão de iniciar oficialmente me setembro de 2021 e terá duração de dois anos, com financiamento do Centro Nacional de Estudos Espaciais (CNES ) da França. O projeto desenvolvido em parceria pela Unemat e os pesquisadores franceses concorreu ao edital do Space Climate Observatory na França e teve valor aprovado de € 80 mil euros.

A pesquisa será desenvolvida em Mato Grosso e utilizará dados de satélite: Sentinel-2, Landsat e MODIS, além de produtos derivados de dados de satélites como mapas de uso da terra, estimativas de precipitação, dados vetoriais de limites administrativos, dados vetoriais de limites administrativos, de estações meteorológicas instaladas em Mato Grosso e dados colhidos junto a população.

De acordo com pesquisadores Carlos Antônio da Silva Júnior, da Unemat, e Damien Arvor e Vincent Dubreuil, da França, que estão a frente do projeto Chove-Chuva, esse projeto se faz necessário por conta das intensas transformações socioambientais que colocam Mato Grosso como palco, e no centro dos desafios das mudanças globais. De acordo com eles, essas transformações são decorrentes de um setor agrícola muito dinâmico e expansão e que vem evoluindo para intensificar e diversificar suas práticas.

Para os pesquisadores essa evolução no setor agrícola ocorre num contexto de plano setorial de mitigação e adaptação às mudanças climáticas que tem como objetivo incentivar as práticas de manejo sustentável, restauração de pastagens degradadas, reflorestamento de matas ciliares, promoção de integração de lavoura-pecuária ou semeadura direta, entre outros.

Mas para colocar essas ações em práticas é necessário ter ferramentas que permitam o acesso mais sitematizados sobre a evolução das condições territoriais. Os pesquisadores explicam que existem uma grande diversidade de informações espaciais sobre o assunto que devem ser divulgadas ao maior número de pessoas a fim de facilitar os processos de adaptação das comunidades a essas mudanças.

É com base nesses objetivos que o projeto Chove-Chuva visa desenvolver essa ferramenta de monitoramento da dinâmica territorial em Mato Grosso. A expectativa é que ao final da pesquisa seja possível alcançar ao menos dois propósitos: Disseminar a informação espacial de forma sintética em quatro grandes temas: Clima (evolução da precipitação de chuva – quantidade e sazonalidade), Florestas (desmatamento e degradação), Água (formação de reservatórios de água e degradação das margens dos rios) e Agricultura (área da superfície agrícola e práticas); e o segundo propóstico é de recolher dados do cidadão relativos à percepção sobre as mudanças climáticas e tipos de uso de solo.  

O desenvolvimento do projeto Chove-Chuva foi destaque no site do Space Clima da Franca e pode ser conferido em  https://www.spaceclimateobservatory.org/chove-chuva

 

Projetos Relacionados :

SCOLTEL: projeto colaborativo do CNRS (International Emerging Action ) entre UMR LETG e Unemat (Universidade do Estado de Mato Grosso).

CASTAFIOR: projeto financiado pelo CNES (TOSCA) para monitoramento da dinâmica de antropização de ecossistemas florestais na Amazônia brasileira.

Ciclamen : um projeto CAPES-COFECUB coordenado pela UMR LETG e UNESP sobre o monitoramento de ilhas de calor urbanas e fatores de mitigação relacionados à vegetação em cidades com diferentes contextos climáticos, geográficos e históricos.

GEO-ABC : um projeto de pesquisa CAPES-COFECUB coordenado pela Embrapa-Solos e CIRAD em apoio do Plano ABC ( Agricultura de Baixa Emissão de Carbono ), para o desenvolvimento de monitoramento métodos para sistemas agrícolas de baixo carbono no estado de Mato Grosso .

 

Salvar esta página   Imprimir notícia   Enviar notícia por e-mail Visitas: 23057 | Impressões: 25783
Compartilhar no Facebook

Notcias relacionadas

  • Nenhuma notcia relacionada

Rede Social


Copyright 2022 - Universidade do Estado de Mato Grosso
Av. Tancredo Neves, 1095 - Cavalhada III
78217-900 - Cceres - Mato Grosso
PABX +55 (65) 3221-0000