Mato Grosso, Terça-Feira, 25 de Fevereiro de 2020     
2019 Egressa da Unemat tem artigo sobre Zika publicado em Revista Nature
PESQUISA
Egressa da Unemat tem artigo sobre Zika publicado em Revista Nature
14/01/2020 18:46:47
por Assessoria de Comunicação
Foto por: Arquivo Pessoal

A egressa da Unemat, do curso de Biologia e do Mestrado em Ciências Ambientais, Rosilainy Surubi teve um artigo sobre o vírus da Zika publicado em uma das mais conceituadas revistas científicas do mundo a Nature (https://www.nature.com/articles/s41598-019-56669-4)  no final de dezembro.

O artigo é fruto da tese de pós-doutorado de Rosilainy e envolveu pesquisadores de diferentes laboratórios do Instituto Oswaldo Cruz (Laboratório de Mosquitos Transmissores de Hematozoários, Laboratório de Biologia Molecular de Parasitas e Vetores e Laboratório de Biologia Molecular de Flavivírus), sendo realizado no Rio de Janeiro.

Ela lembra que o vírus Zika (ZIKV) se espalhou nas Américas desde 2015, e no Brasil o ciclo de transmissão ocorre em ambiente urbano às custas do mosquito doméstico Aedes aegypti. No entanto, como na África ocorrem dois ciclos de transmissão (urbano e silvestre), a hipótese de potencial estabelecimento de um ciclo de transmissão silvestre no continente foi levantada.

A pesquisa demonstrou que o estabelecimento de um ciclo silvestre de transmissão do ZIKV depende de vários fatores, entre os quais a existência de espécies de mosquitos primatofilicos competentes, que se alimentam repetidamente com hospedeiros vertebrados suscetíveis e amplificadores em um ambiente favorável (Weaver & Reisen, 2010).

“ Os resultados do nosso trabalho respondem a um destes fatores, ou seja, ao potencial de mosquitos silvestres transmitirem ou não o vírus Zika no Brasil. Este aspecto é importante, pois o estabelecimento de um ciclo silvestre de transmissão do ZIKV nas Américas tornaria os esforços de controle muito difíceis e a erradicação provavelmente impossível. No entanto, ainda não há evidências de um ciclo silvestre independente de transmissão do ZIKV na América do Sul. É possível que a refratariedade e a competência vetorial muito baixa dos mosquitos silvestres descritos neste trabalho bloqueiem o início de tais ciclos silvestres neste continente”, avalia.

Para Rosilainy é importante a existência de vigilância contínua da circulação do ZIKV em animais e mosquitos no Brasil, e em outros países da América do Sul, devido à sua grande diversidade e abundância de espécies de hospedeiros vertebrados e potenciais mosquitos silvestres vetores.

 

Salvar esta página   Imprimir notícia   Enviar notícia por e-mail Visitas: 682 | Impressões: 8
Compartilhar no Facebook

Notícias relacionadas

  • Nenhuma notícia relacionada

Rede Social


Copyright 2020 - Universidade do Estado de Mato Grosso
Av. Tancredo Neves, 1095 - Cavalhada III
78217-900 - Cáceres - Mato Grosso
PABX +55 (65) 3221-0000