Mato Grosso, Sexta-Feira, 15 de Dezembro de 2017     
Unemat participará de estudos em prol da represa Guapomó na Bolívia
COOPERAÇÃO
Unemat participará de estudos em prol da represa Guapomó na Bolívia
11/08/2017 18:45:32
por Hemilia Maia
Foto por: Moisés Bandeira

A reitora da Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat), Ana Di Renzo, recebeu esta tarde (11.08) representantes do Governo Autônomo Municipal de San Ignacio de Velasco - Bolívia, da Universidade Autônoma Gabriel René Moreno, da Câmara dos Vereadores de San Ignacio de Velasco e da Cooperativa de Servicios de Agua Potable e Alcantarillado Sanitario (Coosiv) para discutir a limpeza da represa Guapomó que abastece San Ignacio.

O município que tem cerca de 70 mil habitantes e mais de mil quilômetros de fronteira com o Brasil, enfrenta problemas com secas e vê com grande preocupação o espelho d'água da represa de Guapomó, responsável pelo abastecimento da cidade, ser tomada por taboa junco, uma planta exótica que já avançou 30% dos 260 hectares da represa.

De acordo com o engenheiro florestal da prefeitura de San Ignacio, Ibis Ariel Gomez Ramos, na região a obtenção de água por meios de poços é bastante complicada. "Temos muitas pedras e água salobra", explicou Ramos.

A reitora da Unemat diz que o problema que ora afeta o país vizinho é também uma preocupação para o Pantanal brasileiro. "Sabendo que essa planta não é nativa e está aqui do nosso lado nos faz parte interessada", disse a reitora que sugeriu um trabalho em conjunto que envolva várias áreas do conhecimento entre, principalmente, a Unemat e a Universidade René Moreno.

Participou das discussões o diretor Político-pedagógico e Financeiro do câmpus de Cáceres Antônio Malheiros assim como o pró-reitor de Pesquisa e pós-graduação, Rodrigo Zanin. O câmpus possui os cursos de Agronomia, Geografia e  Ciências Biológicas que participarão dos estudos, assim como os programas de pós-graduação em Genética e Melhoramento de Plantas e Ciências Ambientais.   

A diretora da Faculdade de Ciências Agrárias e Biológicas do câmpus, professora e pesquisadora Solange Ikeda Castrillon ressaltou que são necessários estudos interdisciplinares para o diagnostico e manejo no caso descrito na represa Guapomó. O professor Samuel Laudelino Silva, que coordena projetos e programas em Agroecologia e Química salientou a importância de encontrar meios para frear os avanços da taboa junco. O professor Samuel ainda sugeriu a possibilidade de dar utilidade para a planta que após estudos poderá ser transformada em adubo, matéria prima para artesanato, entre outras hipóteses.

A data para  assinatura do acordo de cooperação entre as instituições citadas para a realização de estudos de recuperação da capacidade de abastecimento da represa Guapomó foi pré-agendada para o dia 11 de setembro.

Também participaram da reunião os pró-reitores de Extensão e Cultura, Anderson Amaral e de Assuntos Estudantis, Celso Fanaia Teixeira; a Assessora de Relações Externas e Internacionais, professora Áurea Ignácio; a advogada Pública da Unemat, Jaqueline Albino; o colaborador do Núcleo de Formação, Pesquisa e Extensão em Agroecologia (Nater/Unemat), José Roberto de Oliveira Rodrigues; a representante da Faculdade Humanidades da Universidade Autônoma Gabriel René Moreno, Ana Carola Orellana Yabeta;  o prefeito de San Ignacio, Moises Losano; o presidente da Câmara dos Vereadores de San Ignacio, Fernando Alvarez Camacho; a presidente da Cooperativa de Servicios de Agua Potable e Alcantarillado Sanitario (Coosiv), Elizabeth Gomes Baldivieso; o gerente Técnico da Coosiv, Victor Hugo Aguirre e Isolda Borasch Aguirre.  

Salvar esta página   Imprimir notícia   Enviar notícia por e-mail Visitas: 593 | Impressões: 20
Compartilhar no Facebook

Notícias relacionadas

  • Nenhuma notícia relacionada

Rede Social


Copyright 2017 - Universidade do Estado de Mato Grosso
Av. Tancredo Neves, 1095 - Cavalhada II
78200-000 - Cáceres - Mato Grosso
PABX +55 (65) 3221-0000