COMPETITIVIDADE DAS EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE CARNE SUÍNA (1999-2017)

Leticia Favaretto, Juliana Favaretto, Elisangela Gelatti, Daniel Arruda Coronel

Resumo


Este trabalho objetivou  analisar a competitividade das exportações brasileiras de carne suína no período de 1999 a 2016. Neste sentido, utilizaram-se os indicadores de competitividade do comércio internacional: Vantagens Comparativas Reveladas (IVCR), Orientação Regional (IOR) e Taxa de Cobertura (TC). Os dados para o cálculo desses índices foram coletados na Secretaria de Comércio Exterior do Ministério da Indústria e Comércio (SECEX/MDIC). O Índice de Vantagem Comparativa Revelada mostrou que as exportações brasileiras apresentaram vantagem comparativa em todo o período analisado, sempre com valor maior que a unidade, e o Índice de Orientação Regional indicou que as exportações estão orientadas para Rússia, Singapura e Hong Kong. Na análise da taxa de cobertura, fica evidente a superioridade das exportações em relação às importações de carne suína. Esses índices corroboram para a conclusão de que a carne suína brasileira é competitiva frente ao mercado internacional.

Texto completo:

PDF

Referências


ABIPECS – ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DA INDÚSTRIA EXPORTADORA DE CARNE SUÍNA. Relatório Anual. 2005. Disponível em: < http://docplayer.com.br/8876925-Membros-do-conselho-diretor.html>. Acesso em: 18 de outubro de 2018.

ABPA - ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE PROTEINA ANIMAL. Relatório Anual. 2018. Disponível em: . Acesso em: 08 de setembro de 2018.

ABPA – ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE PROTEINA ANIMAL. Relatório Anual. 2017. Disponível em: < http://abpa-br.com.br/storage/files/3678c_final_abpa_relatorio_anual_2016_portugues_web_reduzido.pdf >. Acesso em: 08 de setembro de 2018.

BALASSA, B. Trade liberalization and “Revealed” comparative advantage. Oxford: Manchester School of Economic and Social Studies, 1965. P.99-123.

BELLONIA, C. P. C.; SILVA. O. M. Indicadores de barreiras não-tarifárias nas exportações de carne no Brasil. Informe Gepec, v 11, n 1, jan/jun 2007, p. 1-16. Disponível em: < http://e-revista.unioeste.br/index.php/gepec/article/view/1097/923>. Acesso em: 11 de outubro de 2018.

CASSUCE, F. C. C. A influência da taxa de câmbio no valor das exportações brasileiras, na ótica da abordagem das elasticidades. 2004. 119 p. Dissertação (Mestrado em Economia Aplicada) -Universidade Federal De Viçosa. Viçosa, MG, 2004.

COLLE, A. C.; CAETANI, M. I.; TRINDADE, C. S.; ALVIN, A. M. Análise das vantagens comparativas e orientação regional das exportações das carnes suína, bovina e de frango do Rio Grande do Sul entre 2000 e 2013. 2014. Disponível em:< https://www.fee.rs.gov.br/wp-content/uploads/2014/05/201405267eeg-mesa15-analisevantagenscomparativasorientacaoregional.pdf>. Acesso em: 10 de outubro de 2018.

COMEXSTAT. Exportação e Importação Geral.

Disponível em: . Acesso em: 04 de agosto de 2018.

EMBRAPA - SUÍNOS E AVES. Relatório de avaliação dos impactos das tecnologias geradas pela Embrapa. 2017. Disponível em:

suinoseaves_2016_suinoms115.pdf>. Acesso em: 08 de setembro de 2018.

FOOD AND AGRICULTURE ORGANIZATION OF THE UNITED NATIONS-FAO. FAOSTAT. Disponível em: . Acesso em: 05 de abr. 2018.

GONÇALVES, R. A teoria do comércio internacional: uma resenha. 2014. Disponível em: . Acesso em: 15 de setembro de 2018.

GONÇALVES, R.G.; PALMEIRA, E. M. Suinocultura Brasileira. Revista Académica de Economia, n 71, dezembro de 2006. Disponível em: . Acesso em: 15 de setembro de 2018.

LIMA, C. E.; MARTINS, T. C.; SOLDADO, G. V.; SILVA, R. S. Caracterização das exportações e da competitividade internacional do complexo de carnes brasileiro. 2012. Disponível em: . Acesso em: 10 de setembro de 2018.

MAPA - Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento. Secretaria de Relações Internacionais do Agronegócio. Balança Comercial e Balança Comercial do Agronegócio. Brasília. 2018. Disponível em: < http://www.agricultura.gov.br/importacao-e-exportacao>. Acesso em 18 de agosto 2018.

MDIC - Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior. Exportação e Importação. 2018. Disponível em: . Acesso em: 15 de setembro de 2018.

MENDONÇA, T. G.; CARVALHO, D. E.; REIS, M. P. O. Exportações brasileiras de carne suína Medidas técnicas, sanitárias e fitossanitárias. Revista de Política Agrícola, ano 26, n. 3, p. 124-141, Jul./Ago./Set. 2017. Disponível em: . Acesso em: 20 de agosto de 2018.

RUBIN, L. S.; ILHA, A.; LOPES, T. A. M. Exportações de carne suína: performance e possibilidades frente à eliminação de barreiras. Organizações Rurais & Agroindustriais, Lavras, Volume 14, No. 1, p. 28-45, 2012. Disponível em: < https://www.redalyc.org/articulo.oa?id=87823354003 >. Acesso em: 06 de setembro de 2018.

SALVATORE, D. Economia internacional. Rio de Janeiro: LTC, 1998.

TALAMINI, E.; FERREIRA, G. M. V. Mercado Internacional da Carne Suína: variáveis que Influenciam no número de países importadores. Passo Fundo: FEAC, 2006. Disponível em: < http://www.sober.org.br/palestra/2/566.pdf > Acesso em: 18 de outubro de 2018.

THE WORLD BANK. Goods exports (BoP, current US$). Disponível em: . Acesso em: 02 de setembro de 2018.

YEATS, A. Does Mercosur’s Trade Performance Raise Concerns about the Effects of Regional Trade Arrangements? Policy Research Working Paper, The World Bank, n. 1729, 1997.




DOI: http://dx.doi.org/10.30681/ruc.v7i14.3288

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

ISSN: 2316-8072

Indexação: