VARIAÇÃO LINGUÍSTICA: INTERFERÊNCIA DA ORALIDADE NA ESCRITA DE ALUNOS DO ENSINO FUNDAMENTAL

Agnaldo Batista de LIMA

Resumo


Este estudo apresenta o resultado de uma sequência didática realizada com alunos do 6º ano do ensino fundamental da Escola Municipal Jardim das Flores – Alta Floresta, Mato Grosso. Objetiva identificar e analisar a interferência da oralidade em diálogos escritos pelos próprios alunos e propõe discutir a importância de inserir o tema da variação linguística em sala de aula. Tem como base teórica, estudos de Dolz, Noverraz e Schneuwly (2004), Bagno (2007), Bortoni-Ricardo (2005), dentre outros.  Como resultados a necessidade de alunos e professores vivenciarem práticas educativas de reflexão da variação linguística no português brasileiro e de ocorrências de variação da própria língua.
 
Palavras-chave: Variação Linguística, Preconceito Linguístico, Língua.

Texto completo:

PDF

Referências


BAGNO, Marcos. Preconceito Linguístico: o que é, como se faz? São Paulo: Edições Loyola, 2008.

________. Dez cisões: para um ensino de língua não (ou menos) preconceituoso. Disponível em: www. marcosbagno. com. Br. Acesso em: 08/06/2018.

________. A norma oculta: língua & poder na sociedade brasileira. São Paulo: Parábola Editorial, 2003.

_______. Linguística da norma. São Paulo: Edições Loyola, 2002.

_________. Nada na língua é por acaso: por uma pedagogia da variação linguística. São Paulo: Parábola Editorial, 2007.

_________. A língua de Eulália: novela sociolinguística. São Paulo: Editora Contexto, 2004.

BORTONI-RICARDO, Stella Maris. Educação em Língua Materna: a sociolinguística na sala de aula. São Paulo: Parábola Editorial, 2004.

________; FREITAS, V. A. de L. Sociolinguística Educacional. Abralin–40 anos em cena. João Pessoa: Editora UFPB. Recuperado em, v. 27 2009.

________; OLIVEIRA, T. de. Corrigir ou não variantes não padrão na fala do aluno. In: BORTONI-RICARDO, S. M. & MACHADO, V. R. (orgs.). Os doze trabalhos de Hércules: do oral para o escrito. São Paulo: Parábola Editorial, 2013.

CAGLIARI, Luiz Carlos. Alfabetização & linguística. São Paulo: Editora Scipione, 1993.

COELHO, Izete Lehmkuhl et al. Para conhecer sociolinguística. São Paulo: Editora Contexto, 2015.

DIÁLOGO: Batico e seu João – texto escrito por alunas com o falar cuiabano. Disponível em: http://eulissescuiabano.blogspot.com/2013/06/textos-que-homenageiam-cuiaba.html. Acesso em: 08/06/2018.

GLOSSÁRIO CUIABANO. Disponível em: http://glossariocuiabano.blogspot.com/ Acesso em: 08/06/2018.

DOLZ, J., NOVERRAZ, N. e SCHNEUWLY, B. Sequências didáticas para o oral e a escrita: apresentação de um procedimento. In: DOLZ, J. e SCHNEUWLY, B. Gêneros orais e escritos na escola. Campinas: Mercado de Letras, 2004.

KLEIMAN, Angela B. Letramento e suas implicações para o ensino de língua materna. Signo, v. 32, n. 53, p. 1-25, 2007.

MARCUSCHI, Luiz Antônio. Gêneros Textuais: Constituição e Práticas Sociais. São Paulo: Cortez, 2002.

________. Da fala para a escrita. Operações de retextualização. São Paulo: Cortez, 2010.

MOLLICA, Maria Cecília. Influência da fala na alfabetização. São Paulo: Tempo Brasileiro, 1998.

Recebido em: 4 de maio de 2019

Aprovado em: 20 de junho de 2019


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN: 2359-0041

INDEXADORES: