A ESCRITA DE SI COMO MANEIRA DE DESTERRITORIALIZAÇÃO DO EU, EM DOCTOR PASAVENTO, DE ENRIQUE VILA-MATAS

Rosana Arruda de Souza

Resumo


Cunhado a priori por Deleuze e Guattari, o conceito de desterritorialização vem sendo mobilizado, atualmente, para remeter às mudanças e formações de territórios quando tomados além do significado geográfico e físico. Os territórios se tornaram conjuntos de significações possíveis, as quais impetram poder por tanto se repetirem, causando agenciamentos. Propomos empregar tal conceito para a análise de Doctor Pasavento, por considerarmos que o narrador-protagonista do romance, ao contar sua história, transita entre territórios de significações, mais especificamente, territórios de memórias e identidades. 


Texto completo:

PDF

Referências


Deleuze, Gilles; Guattari, Félix. Mil platôs - capitalismo e esquizofrenia.vol. 1. Tradução de Aurélio Guerra Neto e Célia Pinto Costa. Rio de janeiro: Ed. 34, 1995.

HAESBAERT, Rogério; BRUCE, Glauco. A desterritorialização na obra de Deleuze e Guattari. Geographia, v. 4, n. 7, 2002.

HAESBAERT, Rogério. Da desterritorialização à multiterritorialidade. Boletim Gaúcho, v. 29, p. 11-24, 2003.

VILA-MATAS, Enrique. Doctor Pasavento. Disponível em: . Acesso em: 14 maio 2017.

ZOLIN-VESZ, Fernando. Esse é o final de una era triste e o começo de una fase muy feliz: translinguismo em telenovelas brasileiras. 132 f. Tese (Doutorado em Letras e Linguística) – Faculdade de Letras, Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2015.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


 

_____________________________________________________________________________________________