AS TIAS NEGRAS CARIOCAS: NARRATIVAS DAS SAMBISTAS DA VELHA GUARDA DA PORTELA

Cristina da Conceição SILVA, José Geraldo da ROCHA, Thamiris Leite Dorvillê COSTA

Resumo


Nas narrativas das sambistas da Velha Guarda da Portela, as “tias negras” podem-se descobrir a importância de um mudo diferente de enfrentar as implicações do patriarcado, quando nos referimos às culturas de matrizes africanas no processo educacional não bancário. As mulheres negras indicam uma possibilidade real de uma matriarcalidade na dinâmica cultural e na vida cotidiana. Certamente esses elementos poderão contribuir significativamente na compreensão dos alunos no que tange à possibilidade de à luz da história local, fortalecer suas identidades sócio culturais, valores, apregoados nos Parâmetros Curriculares Nacionais em História.

Palavras Chaves: Mulher Negra. Historia. Educação. Portela


Texto completo:

PDF

Referências


Brasil. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: introdução aos parâmetros curriculares nacionais / Secretaria de Educação Fundamental. – Brasília : MEC/SEF, 1997.

COSTA, Haroldo. Na Cadência do Samba. RJ: Prefeitura Municipal do Rio de Janeiro – Secretaria de Cultura, 2000.

DIAS, Maria Odila Leite da Silva Nas fímbrias da escravidão urbana: negras de tabuleiro e de ganho. Estudos Econômicos. São Paulo, v.15, 1985.p.89-109. Disponível em: http://www.scielo.br/. Acesso em: 10/10/2018.

THEODORO Helena; et alli. Dossiê das Matrizes do samba do Rio de Janeiro. RJ: IPHAN, 2005.

VELLOSO, Mônica Pimenta. As Tias baianas tomam conta do pedaço. Artigo Estudos Históricos, RJ,Vol.3.nº 6,1990,p.207-228.Disponível em: http://bibliotecadigital.fgv.br .Acesso em: 18/ 09/2018..

Recebido: 01/02/2019

Aprovado: 08/02/2019

Publicado: 30/06/2019




DOI: http://dx.doi.org/10.30681/geoambes.v2i1.3747

Apontamentos

  • Não há apontamentos.