A DANÇA COM REMANESCENTES DE QUILOMBO NA COLÔNIA DO PAIOL: A SERIEDADE DA BRINCADEIRA QUANDO NOS VOLTAMOS PARA UMA EDUCAÇÃO INTERCULTURAL

Cátia Pereira GORETTI, Guilherme GORETTI, Maria Manuela V. Hasse de Almeida e SILVA

Resumo


O texto evidencia a construção da identidade quilombola por meio de danças afrodescendentes, que valorizam temas cotidianos, capazes de identificar o que as crianças da Colônia do Paiol pensam de si mesmas, dos outros e do mundo ao seu redor. Na perspectiva de uma educação intercultural, discutimos os objetivos e a história de três danças, vivenciamos seus passos básicos, registramos as corporeidades em vídeos e fotos, analisamos as aproximações e distanciamentos entre a cultura, que eles conheciam e a cultura aprendida naquele momento.

Palavras-chave: dança; identidade quilombola; educação intercultural.


Texto completo:

PDF

Referências


ARROYO, Miguel G. Outros sujeitos, outras pedagogias. 2 ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2014.

BAUMAN, Zygmunt. A vida em fragmentos: sobre a ética pós-moderna. Trad. de Alexandre Werneck. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2011.

BEZERRA-PEREZ, Carolina dos Santos. Jongo e Educação: corpo, cultura, imaginário e identidade no estudo das africanidades no espaço escolar. In: OLIVEIRA, Julvan Moreira de (Org.). Interfaces das africanidades em Educação nas Minas Gerais. Juiz de Fora: Editora UFJF, 2013. p.167-186.

BRASIL. Lei n. 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 23 dez. 1996.

BRASIL. Lei no 10.436, de 24 de abril de 2002. Dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais - Libras e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 25 abr. 2002.

BRASIL. Lei no 11.645, de 10 de março de 2008. Altera a Lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996, modificada pela Lei no 10.639, de 9 de janeiro de 2003, Art. 1o O art. 26, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, para incluir no currículo oficial da rede de ensino a obrigatoriedade da temática “História e Cultura Afro-Brasileira e Indígena”. Diário Oficial da União, Brasília, 11 mar. 2008.

CANDAU, Vera Maria (Org.). Didática crítica intercultural: aproximações. Petrópolis, RJ: Vozes, 2012.

DUBET, François. Sociologie de l'expérience. Paris: Seuil, 1994.

GEERTZ, Clifford. A interpretação das culturas. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1989.

GIROUX, Henry. A.; McLAREN, Peter. Formação do professor como uma contra-esfera pública: a pedagogia radical como uma forma de política cultural. In: MOREIRA, Antônio Flávio.; SILVA, Tomaz Tadeu da (Org). Currículo, cultura e sociedade. São Paulo: Cortez, 2001. p 125-154.

GOFFMAN, Erving. Estigma: notas sobre a manipulação da identidade deteriorada. 4.ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 1988.

GOMES, Nilma Lino. Trajetórias escolares, corpo negro e cabelo crespo: reprodução de estereótipos ou ressignificação cultural? Revista Brasileira de Educação [s. l.]. [online]. n.21, p. 40-51. Set/ Out/ Nov/ Dez 2002.

LE BRETON, David. Antropología del Cuerpo y Modernidad. 1.ed. Buenos Aires: Ediciones Nueva Visión, 2002.

MARTINS, Paulo Henrique. A sociologia de Marcel Mauss: dádiva, simbolismo e associação. Revista Crítica de Ciências Sociais, Coimbra, n. 73, p. 45-66, 2005.

OLIVEIRA, Julvan Moreira de (Org.). Interfaces das africanidades em Educação nas Minas Gerais. Juiz de Fora: Editora UFJF, 2013.

PEREIRA, Liliana Grecco. Racismo e discriminação contra a raça negra no Brasil: está na hora de rever esse (pré)conceito. In: BARRETO, Maria Aparecida Santos Corrêa. RODRIGUES, Alexandro. SISS, Ahyas. (Orgs.). Africanidades: produções identitárias e políticas culturais. Vitória: EDUFES, 2013.

ROGOFF, Bárbara. A natureza cultural do desenvolvimento humano. Porto Alegre: Artmed, 2005.

SANTOS, Sales Augusto dos. A Lei no 10.639/03 como fruto da luta anti-racista do Movimento Negro. In: Educação anti-racista: caminhos abertos pela Lei Federal nº 10.639/03 / Organizador, Sales Augusto dos Santos. – Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade, 2005. p. 21-37.

SILVA, Djalma Antônio da. O passeio dos quilombolas e a formação do quilombo urbano. 2005. 432 f. Tese (Doutorado em Ciências Sociais) – Programa de Pós-graduação em Ciências Sociais. Pontifícia Universidade Católica, São Paulo, 2005.

Recebido: 20/04/2018

Aprovado: 08/02/2019

Publicado: 30/06/2019




DOI: http://dx.doi.org/10.30681/geoambes.v2i1.3741

Apontamentos

  • Não há apontamentos.