O Processo Pedagógico no campo do Jornalismo sob a orientação e a complexidade ato Interdisciplinar

Jorge Arlan de Oliveira Pereira

Resumo


O campo do jornalismo se encontra submetido a intensos desafios por consequência das transformações tecnológicas na área da comunicação e do respectivo comportamento social, caracterizável como uma desorientação identitária. Também se deve às flagrantes distorções da cobertura nos grandes meios de comunicação. Este estado de coisas tem reflexos perturbadores nos processos pedagógicos do jornalismo. A reorientação viria por um ingresso vertical nos fundamentos do campo, a ponto de perceber com mais nitidez sua origem interdisciplinar e sua possibilidade de reafirmação exatamente por um novo percurso interdisciplinar. O percurso caracterizaria um movimento entre a disciplinaridade (campo do conhecimento) e a transdisciplinaridade (expectativa de retotalização do conhecimento). As relações de aprendizagem entre as disciplinas componentes de uma matriz curricular requerem habilidades/competências que se sustentam nos fundamentos do campo e na profundidade do ato interdisciplinar, como resposta a um ambiente de crise conceitual e pragmática. Os cursos de Jornalismo no Brasil, no espírito de suas novas Diretrizes Nacionais, podem assumir protagonismo na materialização dessas experiências.


Palavras-chave


Jornalismo; Ato Interdisciplinar; Campo do Conhecimento.

Texto completo:

PDF

Referências


BELTRÃO, Luiz. Iniciação à filosofia do jornalismo. 2. ed. São Paulo: EDUSP, 2008.

BOURDIEU, Pierre. Sobre a Televisão – seguido de A influência do jornalismo e os jogos olímpicos. Rio de Janeiro:Jorge Zahar Editor, 1997.

BRASIL. Diretrizes Curriculares Nacionais para o Curso de Jornalismo: Relatório da Comissão de Especialistas instituída pelo Ministério da Educação, 2009. In: file:///C:/Users/COM/Documents/Novas%20diretrizes%20curriculares%20Jornalismo/Relatorio%20Comissao.pdf. Acesso em 2/2/2016.

_____ Resolução N° 1, de 27 de setembro de 2013. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Câmara de Educação Superior. (Resolução CNE/CES 1/2013). In: Diário Oficial da União, Brasília, 1º de outubro de 2013 – Seção 1 – p. 26.

CHRISTOFOLETTI, Rogério (0rg). Questões para um jornalismo em crise. Florianópolis, SC: Insular, 2015.

FRIGOTTO, G. A interdisciplinaridade como necessidade e como problema nas ciências sociais. In: BIANCHETTI. L., JANTSCH. A. Interdisciplinaridade: para além da filosofia do sujeito. Petrópolis: Vozes, 1995.

GADOTTI, Moacir. Realidade. In.: Streck; REDIN, Euclides; ZITKOSKI, Jaime José (orgs). Dicionário Paulo Freire. Belo Horizonte: Autêntica, 2008.

GENRO FILHO, Adelmo. O segredo da pirâmide: para uma teoria marxista do jornalismo. Porto Alegre: Editora Tchê Ltda, 1987.

GOMES, Wilson. Jornalismo, fatos e interesses: ensaios de teoria do jornalismo. Série Jornalismo a Rigor. V. 1. Florianópolis, SC: Insular, 2009.

LIMA SOBRINHO, Barbosa. O problema da imprensa. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2008.

OLIVEIRA, Marlize Rubin; ALMEIDA, Jalcion. Programa de pós-graduação interdisciplinares: o contexto. In: RBPG, Brasília, v. 8,n. 15, p. 37-57.

PAVIANI, Jayme. Interdisciplinaridade: conceitos e distinções. Caxias do Sul-RS: Educs, 2008.

MAROCCO, Beatriz; BERGUER, Chirsta (orgs.). A era glacial do jornalismo: teorias sociais da imprensa. Porto Alegre: Sulina, 2006.

MARTINS NETO, João dos Passos. Fundamentos da liberdade de expressão. Florianópolis-SC: Insular, 2008.

MORAES, Vinicius de. Antologia Poética. Rio de Janeiro: Editora do Autor, 1960.

MORETZSOHN, Sylvia. Pensando contra os fatos: jornalismo e cotidiano: do senso comum ao senso crítico. Rio de Janeiro: Revan, 2007.

MOURA, Dione Oliveira; PEREIRA, Fábio Henrique; ADGHIRNI, Zélia Leal (orgs). Mudanças e permanências do jornalismo. Florianópolis: Insular, 2015.

PEREIRA JUNIOR, Luiz Costa. A apuração da notícia: Métodos de investigação na imprensa. Petrópolis-RJ: Vozes, 2006.

PIRES, Marília Freitas de Campos. Multidisciplinaridade, Interdisciplinaridade e Transdisciplinaridade no Ensino. Revista Interface Comunicação, Saúde e Educação., fevereiro 1998. Disponível em http:interface.org.br/

PONTES, Felipe Simão. Adelmo Genro Filho e a teoria do jornalismo. Florianópolis: Insular, 2015.

FERREIRA, Aurélio Buarque de Holanda. Novo dicionário Aurélio de Língua portuguesa. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1986.

SILVA, Kalina Vanderlei; SILVA, Maciel Henrique. Dicionário de conceitos históricos. 2. ed. São Paulo: Contexto, 2008.

VAZ, Ana Lúcia. Jornalismo na correnteza: senso comum e autonomia na prática jornalística. Rio de Janeiro: Senac Nacional, 2008.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.